Bem vindos ao Matutices Poéticas!

Bem vindos ao Matutices Poéticas!

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Retrato do Agreste




Por aqui a gente tem o cirandeiro    
Tem canção de viola e tem reisado.
Tem o coco de roda que é animado
Também tem embolada e tem pandeiro
Tem o forró pé de serra verdadeiro.
No aboio o vaqueiro é o campeão                  
Aboiando junta o gado do grotão
Tem cantadores fazendo cantoria
Meu Agreste traz em sua fotografia
Um retrato parecido com o Sertão.

     
O Sertão fotografei  pra retratar
O Agreste onde vivo também tem
O canto do pássaro que é vem-vem
Tem beija flor na flor pra nos alegrar
Também tem ciranda pra gente dançar.
A lembrança me traz a recordação
Dos forrós  dançado a luz do lampião            
Que dançava no salão com garantia
Meu Agreste traz em sua fotografia
Um retrato parecido com o Sertão.


18.11.14
KLEBSON OLIVEIRA
RONALDO BARBOSA




sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Roedeira


Sou feliz mas me falta um pedaço
Que completo com teu cheiro e calor.
Meu peito entristecido quer teu amor
Para seguir nesse ardente embaraço
Vem meu bem quero tanto seu abraço. 
Mando pra longe a solidão que vier
Se você voltar pra ser minha mulher
Esquentar nosso amor que enfraqueceu
Esqueci de esquecer quem me esqueceu
Mas eu vou esquecer se Deus quiser.

No reduto do amor sempre vou te amar
Amando vou mesmo nessa roedeira.
Você que me enfeitiçou da sua maneira
Desejo que procurando pude encontrar
Trilhando esse amor eu vivo a lamentar. 
Te desejo, te quero, mas você não quer
Venha logo sem ter medo, pois se vier
Dou-te amor que você um dia perdeu
Esqueci de esquecer quem me esqueceu
Mas eu vou esquecer se Deus quiser.


Mote: Damião de Andrade Lima
Glosa: Klebson Oliveira

Retrato do Agreste


Olho firme para a serra
Vejo tremer e lamento
Essa sina que carrego
Que pulsa a todo momento
Mas o verão vai passar
Pra nosso Agreste voltar
A viver sem sofrimento.

No batente da calçada
Observo com precisão
Uma cigarra agorenta
Agorando com sua canção
O gado berra sem parar
Medonho sem se alimentar
Deixa triste meu coração.

No pé de algaroba ficou
A morada de um ferreiro
A cacimba sem ter água
Só vejo o pé de faxeiro
Com espinho e sem fruto
As agruras do matuto
Do Agreste brasileiro.

Na sombra do juazeiro
Um coxo onde meu gado
Tinha como fonte viva
Água bem do seu agrado
O trator arando o chão
Preparando pra plantação
Pra plantar o meu roçado.

KLEBSON OLIVEIRA




segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Palestra sobre cordel em escola na zona rural de Casinhas

Estive nesta segunda (09), com o poeta Ciriema, na Escola Municipal Benedito Roseno Freire na comunidade de Chatinha de Baixo, em Casinhas atendendo o convite da professora Rosineide Leal e da coordenadora Maria Rosinalda.

Na ocasião, falamos da importância da literatura de cordel para os alunos do 5 ano, destaquei a origem da arte do cordel no Nordeste, citando ainda Leandro Gomes de Barros autor de mais de 240 cordéis.

Aproveitei para presentear os alunos com cordéis, que me receberam com muito entusiasmo.

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Sentimentos da gente



Pedi a ti um tema pra minha poesia
Pedi pra versar sentimentos da gente.
Versando fiz inspirado no repente
A canção de verão cantei com alegria
Busquei singeleza com a melodia.
Inspirado numa canção a galopar
Descobri que nosso amor esta no ar
Declamei no sinfonia nordestina
Versos versados pra você menina
Nos dez de galope na beira do mar.

Serenata cantada me faz tão bem
Bem orquestrado com o seu amor
Amor verdadeiro canto com fevor.
Essa nossa canção por mais de cem
Nas ondas do tempo que pressa não tem.
Serenata envolvente a luz do luar
Luar sertanejo pra ti eu vou cantar
Todo mundo vai cantar a melodia
A canção que tem a minha autoria
Relembrando emoções da beira do mar.

KLEBSON OLIVEIRA

Luiz Gonzaga, Majestade do Sertão

Foto: Google Imagens

Serviu as forças armadas
Passou por atos e baixos 
Foi corneteiro por lá 
Seu nome era bico de aço.

Logo que foi dispensado
Do exército brasileiro 
Partiu de mala e cuia 
Para o Rio de Janeiro.

Conheceu muitos amigos
Nunca esqueceu o Sertão 
Cantou as coisas da terra 
Com muita satisfação.

Com a sanfona no peito
Foi artista de talento 
Tocou no mangue carioca 
Para tirar seu sustento.

Nos programas de calouros 
Que ele se apresentava 
Tocava de tudo um pouco 
Mas sucesso não emplacava.

Aí veio a ideia que foi muito genial
Mudando seu repertório 
E tocou só o regional.

Autor: Ronaldo Barbosa

As belezas sertanejas


As belezas sertanejas, é o mais novo cordel feito para mostrar as relíquias encontradas em nosso Nordeste.
Uma importante parceria de Klebson Oliveira e o Poeta Esperantivo.

Em breve estou fazendo novas impressões para os amigos leitores que amam a literatura de cordel.

Eis ai um aperitivo do que você vai lê:
A goteira se dispersa
Quando a água cai no chão
Com a chuva bem fininha
Correndo pro riachão
Olho da minha janela
Me vem a saudade dela
Apertando o coração.
KLEBSON OLIVEIRA

Uma flor da cor de gema
E flor de palma no verão
Bem vermelha e docinha
Suculentaselas são
Serve para alimento
Faz doce no cozimento
Receita da região.
POETA ESPERANTIVO

sábado, 18 de outubro de 2014

Visita ao ateliê de Apolinário Lucena

Nesta sexta-feira (17), em visita ao ateliê do artísta plástico de Surubim Apolinário Lucena.

KLEBSON OLIVEIRA
.






Nordeste

Mandacaru com espinho afiado
Figura a bandeira da estiagem.
Seu fruto vermelho é a imagem
Que ilustra o pasto castigado.

Uma catingueira acolhe o gado
Que pisoteia o resto da folhagem.
De longe parece até uma miragem
O retrato do sertão abandonado.

Açudes rachados com a sequidão
Também falta água no riachão,
Na cacimba mina a gota sagrada.

A flor do marmeleiro esmorecida 
Sem vigor a seca tirou a vida,
Da flor que espera a invernada.

KLEBSON OLIVEIRA


Amizade


Amizade, parábola difícil de decifrar
Uma semente que nasce nos arrebóis.
Que cresce sem temer nenhum algoz
Rosa desabrochando ao luar.

É o orvalho da flor que vem perfumar
Um canto que canto em alta voz
Uma excitação que encontro em nós
Brilho do sol parindo o dia ao raiar.

Amizade, sentimento que a gente 
Carrega no coração somente, 
E somente a amizade exalta o ser. 

Nas suas mais preciosidades 
Amigáveis de dois seres sem vaidades, 
Amizade é simplesmente a alegria de viver. 

KLEBSON OLIVEIRA


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Klebson Oliveira lança mais cordéis na praça

Foto: Charles Nascimento 
Outro autor integra-se à cultura popular em nossa região. Trata-se de Klebson Oliveira, com o seu cordel discorrendo com suas rimas a vida do escritor Ariano Suassuna. Ele é da Vila Chêus, no município de Casinhas, e é defensor das nossas raízes culturais em seu programa semanal na Rádio Surubim AM, "Sinfonia Nordestina", apresentado aos sábados, das 13h às 14h.

Clique e leia também:
Poeta de Casinhas declama e lança cordel na abertura da Semana Cultural de Surubim 
Poeta de Casinhas lança CD com declamações e cordel em homenagem a Ariano Suassuna


Em parceria com os poetas Andrade Lima, de São José do Egito, no Sertão, e Luiz Esperantivo, de Orobó, aqui no Agreste, Oliveira prepara-se para lançar em breve mais dois cordéis: "Regressandoao lugar que fui criado encontrei um cenário diferente" e "Belezas Sertanejas".

Fonte: maiscasinhas.blogspot.com.br

sábado, 20 de setembro de 2014

Fátima Almeida é a entrevistada deste sábado do "Sinfonia Nordestina"

Klebson Oliveira e Fátima Almeida (Foto: Charles Nascimento/Divulgação)
A poetisa e escritora surubinense Fátima Almeida será a minha entrevistada deste sábado (20) "Sinfonia Nordestina", na Rádio Surubim AM. O programa, hoje excepcionalmente gravado, vai ao ar a partir das 13h e pode ser conferido de qualquer lugar do planeta através do site da emissora no www.radiosurubimam.com.br

sábado, 30 de agosto de 2014

Confira a íntegra do programa deste sábado (30) no "Sinfonia Nordestina"

Fernando Guerra e Nêgo do Manduri foram os entrevista do programa (Fotomontagem: Divulgação)
Ouça a íntegra do programa "Sinfonia Nordestina" deste sábado (30), na Rádio Surubim AM, com Fernando Guerra e Nêgo do Manduri:

Fernando Guerra e Nêgo do Manduri falam sobre o Festival de Violeiros de Surubim, hoje, no "Sinfonia Nordestina"

O programa é apresentado por este poeta (Foto: Divulgação)
O editor do Correio do Agreste, Fernando Guerra, e o poeta Nêgo do Manduri são os entrevistados deste sábado (30) no programa "Sinfonia Nordestina", que vai ao ar a partir das 13h, na Rádio Surubim AM. Para acompanhar ao vivo pela internet, clique aqui.

sábado, 23 de agosto de 2014

Ouça a íntegra do bate-papo com a escritora Elzi Melo e o embolador Siriema no "Sinfonia Nordestina"

Klebson Oliveira conversou neste sábado (23) com Elzi Melo e Siriema (Foto: Rafael Lima/Divulgação)
Confira a íntegra da entrevista com a escritora Elzi Melo, entrevistada na tarde deste sábado, 23, por este poeta, no programa "Sinfonia Nordestina", na Rádio Surubim AM:

Poeta apaixonado


E um poema do fundo do coração
Eu escrevi para te presentear
Numa noite serena de luar
Declamei para você minha paixão
Com a fala trêmula de emoção
Relatei meu desejo tão desejado
De um poeta que ta apaixonado
Meu destino ligado ao seu
E com um abraço você me agradeceu
Marcando esse momento tão sonhado.

KLEBSON OLIVEIRA



Elzi Melo, hoje, no 'Sinfonia Nordestina'

Foto: Divulgação/Reprodução
A escritora surubinense Elzi Melo (foto) é a entrevistada deste sábado (23) no programa "Sinfonia Nordestina", que eu apresento partir das 13h, na Rádio Surubim (1520 AM). Os internautas de todos os quatro cantos do país podem acompanhar ao vivo clicando aqui.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Ouça a íntegra do programa 'Sinfonia Nordestina' com a escritora 'Galega"

Além da escritora "Galega", conversei também com o consultor da Editora Babecco, Mário Santos, e o poeta Ronaldo Barbosa (Foto: Charles Nascimento/Divulgação) 
Confira, na íntegra, a entrevista com a escritora surubinense Maria José de Brito, mais conhecida como "Galega", concedida ao programa "Sinfonia Nordestina", apresentado por este poeta, na Rádio Surubim AM, no último sábado (16):

domingo, 17 de agosto de 2014

Poetisa Ivone Rodrigues

Ivone Rodrigues, com sua gentileza presenteou o blog matutices poéticas.
Parabenizando-me pelo meu trabalho.

Eis.

O nome dele bem que poderia ser João, Antônio, Pedro (nomes usuais no Nordeste), mas não, é Klebson, e eu dei uma busca na net e vejam o que achei:
''Origem do nome Klebson: Latim
Significado: Aquele que faz pão
Qualidades: comunicação, amizade, otimismo, despreocupação, bom humor."

E não é que deu tudo certinho?

Conheci esse moço poeta de Casinhas, através do jornalista Charles Nascimento. // Klebinho, como gosto de chamá-lo, nasceu com o dom de Jessier Quirino. Deve ser um aperreio da gota, ele vive de mãos dadas com a poesia, e ela não para de cutucá-lo. Você diz o mote e o danadinho, com menos de meia hora, já salta com um soneto, um cordel. A poesia, alimento da alma, (o pão que ele faz muito bem) já vem quentinha e ao gosto do freguês.
E quem ganha? A gente, oxente! E o melhor é que ele valoriza as falas e os jeitos do nordestino, exalta nossa gente e nosso lugar.
Nesse 2014 eu achei esse menino traquino e de muitas qualidades. Humilde, simpático e talentosíssimo.
E que me trouxe dois bonequinhos de pano (arte da irmã dele) lindos. Amei!
Um abraço Klebinho, minha admiração e amizade!

Eis:

AMOR VERDADEIRO
(Klebson Oliveira)

Amor verdadeiro é todo amanhecer
É o amor de Deus em nosso coração
É a saudade que mato ao te ver
Quando te vejo termina a solidão.

Amor verdadeiro é o riso da criança
É o perfume perfumado de uma flor
É você que não sai da minha lembrança
É o meu amor por você meu amor.

Uma lua numa noite enluarada
São passarinhos em retirada,
Com a seca entristecendo seu lugar.

Amor verdadeiro é fazer poesia
É o sertanejo orando todo dia,
Para a invernada logo chegar
.


Levo comigo

A amiga Natália Menêzes presenteou o blog matutices poéticas com esse poema de sua autoria.

Eis.

Um doce para eu e meu amigo apreciar

Para os alicerces da amizade lembrar
De onde tudo partiu e lá não deixei
Porque vivo em mim está e sempre comigo levarei

Amizade de anos a fio cultivei
Para me lembrar do que bom plantei
Poetisa como sou
Venho nesses versos revelar

A amizade de anos fortaleceu pra ficar
O tempo não apaga
O tempo aprimora
Amigo estou aqui
Conte comigo sem demora.


17.08.14
Natália Menêzes

Girassol

O poeta, ator e escritor Robert Barbosa nos presenteou com este texto da sua autoria.

Eis.

Assim como um girassol escolhe sempre estar voltado para o sol, escolha focalizar o lado melhor, mais bonito, mais luminoso e vibrante das coisas que lhe acontecem.
Nossa percepção é seletiva, nós "focalizamos" o que queremos ver e deixamos de perceber o restante. 
Você já reparou como é fácil ficar de baixo astral? 
Uma conta para pagar...
Não ganhar todo o dinheiro de que se precisa... 
Não ter a aparência que se gostaria de ter... 
Não ser valorizada no trabalho... 
Não ter encontrado o sucesso, ou um grande amor ...

É por isso que frequentemente não nos sentimos bem. Depositamos nossa atenção no que nos falta, no que nos magoa...E ocupamos nossa mente com pensamentos preocupantes sobre o futuro. Enfim, deixamos a nossa mente à deriva, torturada por pensamentos negativos que nos dominam.

Na verdade a maior parte do tempo, estamos lutando com a vida, não aceitando o que ela nos traz...E quando não aceitamos aquilo que é, e nos concentramos no que deveria ser, nos frustramos, sofremos cada vez mais, ao ponto de perdemos o sentido da existência...
É justamente quando estamos frustrados e insatisfeitos, que precisamos lembrar que possuímos uma antena interna - a atenção - capaz de captar o lado bom da vida. Exatamente como na natureza, faz o girassol.

O girassol se volta para onde o sol estiver, mesmo que este esteja escondido atrás de uma nuvem. Ele está sempre em busca da luz, da vitalidade, da força, da beleza. 

Saber captar o lado luminoso da vida significa aprendermos a valorizar tudo de bom que já recebemos e também a sermos gratos por isso...

Apreciar e agradecer o carinho, o afeto, os gestos de atenção e delicadeza oferecidos pelos amigos, filhos, pais, namorados. Apreciar o sorriso luminoso de alguém que você gosta. Apreciar um gesto de gentileza, uma palavra de estímulo do seu colega de trabalho, do seu vizinho... 
Apreciar todo contato humano que lhe trouxe conforto, novo animo...Apreciar todo apoio que a vida lhe deu, de tantas formas misteriosas, quando precisou... Apreciar e agradecer porque a Vida é Amor, e sempre o protegeu, realizou seus desejos mais profundos, tomou conta de seus interesses e suas verdadeiras necessidades...

Ser aprendiz de girassol,não é fácil!
Infelizmente a maioria de nós, não foi preparada pra buscar o lado luz da vida, e vive se debatendo na obscura zona dos condicionamentos subconscientes e dos pensamentos destrutivos! 

Daqui pra frente, quando perceber que está desanimado, revoltado ou deprimido, que possa se lembrar de ser girassol. 
Selecione o melhor do seu mundo, valorize tudo o que de bonito e bom que existe nele! 
Acredite no Poder da Luz para neutralizar qualquer situação adversa e transformar sua Vida em uma verdadeira obra-prima!
Assim, começará a reter Força, Vitalidade e Alegria dentro de você.
E como o girassol, estará de bem com a grande festa colorida que é a Vida!

Robert Barbosa


A gente não esquece

O poeta Damião de Andrade Lima nos presenteou com esta poesia.

Eis.


Um vaqueiro cedinho na fazenda Leva o gado aboiando no caminho Um casal de rolinha sai do ninho E faz pouso nas telhas de uma tenda A tardinha mamãe costura a renda E depois de jantar reza uma prece Quando o olhos se fecham esmorece O seu corpo na cama pra dormir Tomar banho de rio e se divertir São lembranças que a gente não esquece. Dos abraços e beijos na calçada namorando no escuro escondidinho Noites quentes e troca de carinho Com a lua escondida prateada Tudo de bom vivi nessa jornada Mas o tempo carrega e quem padece Sente o tempo mudar quem envelhece E sem volta é o tempo de criança Brincadeiras de roda, riso e dança São lembranças que a gente não esquece.


Do poeta Damião de Andrade Lima

Nossa amizade


Nosso segredo é tão bom
Que guardo sem preconceito
Mesmo tendo saudade
Passa o tempo não tem jeito
Da nossa bela sintonia
Deixada dentro do peito.

KLEBSON OLIVEIRA



Recordações


Com os olhos marejados
Não controlo a emoção
A minha face sofrida
Me bate a solidão
Viajo ao passado
No voo a imaginação
Diante das recordações
Te guardo no coração.

Recordo o seu sorriso
Sorrindo a me abraçar
Abraço que a gente
Nunca quer se desgrudar
Adormeço tão ligeiro
E contigo vou sonhar
Um sonho de alegria
Que eu não sei decifrar.

Recordo um beijo seu
Recordo você somente
Nossos momentos impar
Contentamento da gente
Recordo nossa melodia
"Martelando" na mente
Nossa história esta
Na lembrança pra sempre.

KLEBSON OLIVEIRA

sábado, 16 de agosto de 2014

Lembrei da lua cheia


Lua cheia que vem sempre me olhar
Sabes que sou lua teu fiel amante
Esqueço quem amo pra com você ficar,
Esta noite me remedia com seu calmante.

Vem bem de mansinha ninguém vai notar
Sem se acanhar me leva neste instante,
Que vou no teu brilho contigo me embriar
Tô carenciado com uma carência vibrante.

Lua porque eu sou assim tão medonho?
Querendo viver contigo esse sonho,
Insoniado de um desejo sem fim.

Me encantei por ti lua bela e iluminada,
Mas meu coraçao arritima por minha amada,
O cheiro da minha MARI nunca vai sair de mim.

KLEBSON OLIVEIRA

Seu riso singelo


Seu riso tão risonho agora vai ficar
Nas fotografias registrada na mente
Seu abraço desprende e fico a chorar,
Lágrimas saudosas de ti pra sempre.

Sempre conduzia sua alegria impar
Presenteando a todos caritativamente
A gente tinha medo de contigo errar,
Tua meiguice queria ver novamente.

Fernanda Nascimento, amiga feliz
Nanda, Fê, Nandinha parecia uma atriz,
Cheia de vida protagonizando alegria.

Seus amigos lamentando entristecidos
De tantos e tantos momentos vividos,
Adeus, estou triste, nos vemos um dia.

KLEBSON OLIVEIRA

Saudades


Saudade so saudade
Saudade tão matadeira
Medonha que ataca
Maltrata deixa a pedaceira
Logo se apossou de mim
Saudade é traiçoeira
Será que tens saudade
Ou será uma roedeira?

KLEBSON OLIVEIRA